CARACTERÍSTICAS DAS MULHERES QUE AMAM DEMAIS


Amar demasiado não significa amar muitos homens, ou apaixonar-se com muita freqüência, ou mesmo ter um grande amor genuíno por alguém. Significa na realidade, ficar obcecada por um homem e chamar isso de amor, permitindo que tal sentimento controle suas emoções e boa parte de seu comportamento, mesmo percebendo que exerce influência negativa sobre sua saúde e bem-estar, e ainda assim achando-se incapaz de opor-se a ele. Significa medir a intensidade do seu amor pela quantidade de sofrimento.Ninguém se transforma em mulher que ama demais por acaso. Crescer como mulher nessa sociedade e em famílias desajustadas, pode gerar padrões previsíveis.


As seguintes características são típicas de mulheres que amam demais:

1.    Você vem de um lar desajustado em que suas necessidades emocionais não foram satisfeitas.

2.    Como não recebeu um mínimo de atenção, você tenta suprir essa necessidade insatisfeita através de outra pessoa, tornando-se superatenciosa, principalmente com homens aparentemente carentes.

3.    Como não pôde transformar seus pais nas pessoas atenciosas, amáveis e afetuosas de que precisava, você reage fortemente ao tipo de homem familiar, porém inacessível, o qual você tenta mais uma vez transformar através de seu amor.

4.    Com medo de ser abandonada, você faz qualquer coisa para impedir o fim do relacionamento.

5.    Se for para "ajudar" o homem com quem está envolvida, você acha que quase nada é problema, não toma seu tempo, nem custa demais.

6.    Habituada à falta de amor em seus relacionamentos pessoais, você está disposta a ter paciência e esperança, tentando agradar cada vez mais.

7.    Você está disposta a arcar com mais de 50% da responsabilidade, da culpa e das falhas em qualquer relacionamento.

8.    Sua autoestima está criticamente baixa e, no fundo, você não acredita que mereça ser feliz. Ao contrário, acredita que deve conquistar o direito de desfrutar da vida.

9.    Como experimentou pouca segurança na infância, você tem uma necessidade desesperadora de controlar seus homens e seus relacionamentos. Você mascara seus esforços para controlar pessoas e situações, mostrando-se "prestativa".

10.Você está muito mais em contato com o sonho de como o relacionamento poderia ser do que com a realidade da situação.

11. Você é uma pessoa dependente de homens e de sofrimento espiritual.

12.Você tende e com frequência, bioquimicamente a se tornar dependente de drogas, álcool e/ou certos tipos de alimento, principalmente doces.

13. Ao ser atraída por pessoas com problemas que precisam de solução, ou ao se envolver em situações caóticas, incertas e dolorosas emocionalmente, você evita concentrar a responsabilidade em si própria.

14.Você tende a ter momentos de depressão e tenta preveni-los através da agitação criada por um relacionamento instável.

15.Você não tem atração por homens gentis, estáveis, seguros e que estão interessados em você. Acha que esses homens "agradáveis" são enfadonhos.

Mulheres que amam demais têm pouca consideração com a sua integridade pessoal dentro de um relacionamento amoroso. Concentram sua energia na mudança do comportamento e sentimentos de outra pessoa com relação a elas, através de manipulações desesperadas.
Quando nossas experiências na infância são bastante dolorosas, somos frequentemente compelidas a recriar situações parecidas em nossa vida, com o intuito de conseguirmos domínio sobre elas.

Quando acontece algo muito doloroso emocionalmente e dizemos a nós mesmas que falhamos, estamos na verdade dizendo que temos controle sobre isso: se nos modificarmos, o sofrimento cessará. Esse pensamento vale para todas nós. A dinâmica está por trás de muitas das autoacusações em mulheres que amam demais. Culpando-nos, prendemo-nos à esperança de que seremos capazes de descobrir onde está o erro e corrigi-lo, controlando a situação e fazendo o sofrimento cessar.

(extraído do livro “Mulheres que Amam Demais”, de Robin Norwood)

AS PROMESSAS DE RECUPERAÇÃO DA DEPENDÊNCIA DE RELAÇÕES

AS PROMESSAS DE RECUPERAÇÃO DA DEPENDÊNCIA DE RELAÇÕES
1. Nos aceitamos totalmente, mesmo que queiramos mudar algumas de nossas características. Existe em nós o amor e respeito próprios, que alimentamos cuidadosamente e que nos propomos expandir.
2. Aceitamos os demais do jeito que eles são, sem tentar modificá-los para satisfazer as nossas necessidades.
3. Estamos em contato com nossos sentimentos e atitudes em relação a todos os aspectos das nossas vidas, incluindo nossa sexualidade.
4. Valorizamos cada parte de nós mesmas: nossa personalidade, nossa aparência, nossos valores e crenças, nosso corpo, nossos interesses e logros. Fazemos uma auto-avaliação, no lugar de procurar uma relação que nos proporcione um sentido do nosso valor.
5. Possuímos auto-estima suficiente para desfrutar da companhia dos outros, especialmente dos homens, que aceitamos do jeito que são. Não precisamos que eles sintam necessidade de nós para que possamos nos sentir dignas.
6. Nos permitimos sermos abertas e confiantes com as pessoas adequadas. Não temos medo de que nos conheçam num nível profundamente pessoal, mas também não nos expomos àqueles que não se interessam pelo nosso bem estar.
7. Perguntamos a nós mesmas: Esta relação é boa para mim? Me permite crescer para ser tudo aquilo que sou capaz de ser?
8. Quando uma relação é destrutiva, somos capazes de renunciar a ela sem que isso nos jogue numa depressão paralisadora. Temos um círculo de amigos que nos apoiam, e interesses sadios que nos ajudam a superar as crises.
9. Valorizamos nossa serenidade acima de tudo. Todas as lutas, os dramas e o caos do passado perderam seu atrativo. Protegemos a nós mesmas, nossa saúde e nosso bem estar.
10. Sabemos que uma relação, para funcionar, precisa acontecer entre duas pessoas que compartilham objetivos, interesses e valores semelhantes, e que possuem capacidade para partilhar a intimidade emocional.

CARACTERÍSTICAS DAS MULHERES QUE AMAM DEMAIS

Amar demasiado não significa amar muitos homens, ou apaixonar-se com muita freqüência, ou mesmo ter um grande amor genuíno por alguém. ...